sexta-feira, junho 23, 2006

Espécie de Vampiro

"Eu não sou quem tu desejas
Eu não sou aquele que beijas
Sou um mero pesadelo ou fantasia
Eu sou muito mais que velho
Intimido qualquer espelho
Sou o amigo mais funesto da poesia
Sou um tipo de morcego
Que é completamente cego
Embora às vezes seja fã do Fritz Lang

Sou uma espécie de vampiro
E quando sobre ti me atiro
É para saborear um pouco do teu sangue
Só para beber gota a gota o teu sangue

Tu não sabes donde venho
Dás conversa a qualquer estranho
E ainda vais beijar-me os lábios docemente
Não confias nos teus pais
E acreditas que os jornais
Só relatam as verdades de outras gentes
Sou um tipo de morcego..."


Jorge Palma