domingo, outubro 23, 2005

A cidade tem-me acompanhado. A universidade, os sons, os odores, os estudantes embriagados, os cafés no académico ou no tropical. Enfim, as coisas dos velhos costumes de Coimbra.
Agora, que não estudantes, o mesmo de sempre que ainda nos entra pelos olhos tem outro(s) sentido(s). A vida é nova... a (viva)cidade continua... As pedras da calçada, essas, vão ficando por ali pouco importadas com o tempo que passa...